A LIÇÃO DOS TRÊS MENINOS.

Certo dia ao parar o carro em frente a minha casa, tive a oportunidade de presenciar uma cena: três crianças correndo atrás de uma pipa (papagaio, arraia) que estava caindo. A mesma já estava um pouco distante deles e durante o trajeto a pipa ficou presa a uma árvore. Fiquei a observar qual seria a atitude de cada um daqueles meninos.

Um, logo que a viu enganchada, voltou correndo para fazer o que estava fazendo antes; o outro ficou olhando e falando muito, mostrando a pipa presa aos que passavam. O terceiro não quis conversa, para minha surpresa ele rapidamente avaliou como poderia fazer para alcançar e saiu sem nem olhar para os que ficaram. Saiu para sua tentativa se distanciando daqueles outros meninos.

Não cheguei a presenciar o final da situação, não sei se aquele menino conseguiu voltar com a pipa, mas sabia que de algum modo poderia extrair muitas coisas desta cena. Comecei a vê-los não mais como meninos, imaginei-os adultos diante de situações desafiadoras. Pelas atitudes de cada um vi que estava diante de perfis interessantes para analisar.

O primeiro menino: Pessoas que preferem ficar no seu mundo, fazendo as mesmas coisas, porque não querem correr riscos. Neste caso podemos ter pelo menos três motivos que levaram aquele menino voltar:

1. Perfil conservador: pessoas que optam por se manterem nas mesmas coisas, são felizes assim e estão contentadas com a vida que tem. Se sentem seguras em sua zona de conforto e não mudam, permanecem naquela mesma atividade por anos sem reclamar da rotina;
2. Por medo de empreenderem: até desejam fazer algo viver novas possibilidades mas o medo paralisa e aí fica com aquela velha máxima: “é melhor um pássaro na mão do que dois voando”;
3. Competência: ao fazer uma auto avaliação de competências o mesmo percebe que não possui capacidade,

conhecimento ou habilidades para encarar determinados desafios. Ao perceber isto, se o mesmo não busca desenvolver, capacitar-se, estar preparado correrá um grande risco de viver frustrado, porque não busca melhorar e por isso esta naquela mesma vida, tendo sempre os mesmos resultados. Mas se o mesmo estrategicamente está fazendo a mesma coisa e por outro lado está buscando capacitação, outras pipas passarão e se sentindo seguro empreenderá, partirá para outros horizontes.

Certa vez conversando com um grande amigo que trabalhava há muitos anos numa empresa, e estava inconformado e cansado daquela situação pensou em pedir demissão lhe perguntei: há quase vinte anos você está fazendo a mesma coisa e quando você sair o que você fará? Você se preparou para enfrentar a nova realidade de mercado?

Se você quer sair da posição onde se encontra, deverá se preparar estrategicamente para os próximos passos.Minha sugestão é: não fique paralisado no aprimoramento de competências, enquanto você trabalha você se prepara para novos vôos.

Segundo menino: é o reflexo de muitos que ficam, muitas vezes desejando, até se veem com capacidade mas ficam parados por falta de auto confiança e confiança no Alto. Até acreditam que podem, mas não tem a iniciativa. Ficam apenas no campo da observação, do discurso mas sem atitude. Nestes casos a sensação de frustração é imensa, pois deixam completamente de ser produtivos e correm um grande risco de ser murmuradores. O interessante é que estes muitas vezes conseguem até chamar a atenção de outros para suas falas e encontram muitas vezes atraem pessoas com seu perfil formando assim um Ajuntamento dos Observadores Improdutivos(AOI).

Terceiro menino: o destemido e perspicaz. Ele não empreendeu sua busca aleatoriamente. Ele parou um pouco, observou, avaliou as condições e rapidamente montou seu mapa de alcance. Correu em busca do seu objetivo sem nem se preocupar se os outros estavam o acompanhando. Correu em busca do objetivo mesmo quando visualmente em alguns momentos não avistava mais a pipa, por necessitar percorrer o caminho para chegar no objetivo. Mas dentro dele sabia que precisava fazer. Em alguns momentos vamos necessitar correr apenas com a visão interior. Olhar para o objetivo lhe levará a traçar metas, a não ficar parado diante dos obstáculos e estar motivado a correr, deixando as outras coisas e muitas vezes correndo certos riscos.

A nossa vida é feita de atitudes, semeaduras, renuncias, visão, perseverança, avaliações, passos… O que temos, o que vivemos é o resultado das nossas escolhas, ações e reações. Certo dia li em uma rede social uma frase postada pela amiga Dione Alexsandra, que se aplicará muito bem a lição dos três meninos: “O futuro tem muitos nomes: para os fracos é o inalcançável; para os temerosos o desconhecido e para os valentes, OPORTUNIDADE”.

Certamente você deve ter se identificado até mesmo com um ou mais de um dos meninos em diversos momentos e áreas da sua vida. Que a lição dos três meninos sirva de espelho para que possamos ser e viver o melhor em cada estação da nossa vida. Acredite, prepare-se, corra a carreira que está proposta, não tenha medo de empreender seguindo as direções de Deus em sua vida!

Pense nisso!

Posted in Reflexões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *