ESFRIAMENTO ESTÁ LIGADO A UMA PALAVRA

Ao longo de mais de vinte anos de caminhada cristã pude perceber que a nossa atitude diante de Deus independe do posicionamento de outros e que a vontade de dEle é que possamos iniciar zelosos e irmos até o fim, zelosos.  Na parábola das dez virgens sabemos que cinco eram levianas, imprudentes, desleixadas espiritualmente. Certamente se fossemos fazer numa tradução mais atualizada, poderíamos considera-las como “ESCORONAS”, traduzindo: aquela pessoa que se escora no trabalho e na vida de outras.
Vemos isso na escola, no trabalho e infelizmente na Igreja. Pessoas que são chamadas para uma responsabilidade e por este posicionamento leviano não cumprem cabalmente seus compromissos com o Senhor, se escoram na vida, na oração e no serviço dos outros. Não fomos chamados para isso! Fomos chamados para produzir frutos dignos de arrependimento, frutos dignos de compromisso, sendo fieis.
Fidelidade é fruto do espírito, fruto que está disponível para todo crente produzir. Certo dia ouvindo uma mensagem de uma jovem chamada Mary ela exclamou: “Fidelidade rompe a barreira da empolgação”. Impactante, não? Muitos estão empolgados fazendo a obra de Deus, mas quando situações se levantam, quando o cansaço bate a porta, quando o tempo passa… a empolgação para muitos desaparece e o que vai sustentar é a fidelidade, porque esta, independe dos sentimentos. Ser fiel é ser e fazer o que se sabe que precisa ser feito independente das circunstâncias e as opiniões contrárias.
Já vi muitos que iniciaram na caminhada da obra e hoje não mais estão, outros que iniciaram com todo fervor e hoje vivem uma vida morna e envolvida com os cuidados deste mundo.  Percebo que todo o princípio do esfriamento está ligado a uma palavra: NEGLIGÊNCIA. Negligência na comunhão com Deus, negligência naquilo que foi confiado pelo Senhor como talento, negligência no trato das finanças, negligência no que diz respeito a sexualidade, negligência nos compromissos, negligência na leitura, negligência na frequência dos cultos, negligência na família, negligência nos horários…
“O que trabalha com mão displicente empobrece, mas a mão dos diligentes enriquece.” Provérbios 10.4.
“O que é negligente na sua obra é também irmão do desperdiçador.” Provérbios 18.9.
Não sejamos negligentes, tenhamos o nosso coração e as nossas práticas cristãs firmes, no propósito certo. Não devemos servir esperando recompensas humanas, sirvamos ao Senhor e aos nossos irmãos na certeza de que isto é parte integrante do plano de Deus para as nossas vidas. Sabendo que a nossa recompensa vem do Senhor.
“Porque Deus não é injusto, para se esquecer da vossa obra, e do amor que para com o seu nome mostrastes, porquanto servistes aos santos, e ainda os servis.
E desejamos que cada um de vós mostre o mesmo zelo até o fim, para completa certeza da esperança;”  Hebreus 6. 10, 11
Muitos estão sendo bombardeados para desistir por estarem percebendo que outros estão sendo negligentes. MANTENHA O ZELO, é o Senhor quem nos galardoa. Não enfraqueça, você colocou a mão no arado! Se alguém não está cumprindo sua parte, não esmoreça, seja pleno naquilo que o Senhor confiou a você! Se existe alguém ao seu redor que leva a obra de Deus sem compromisso, desleixadente, não se contamine. A responsabilidade é pessoal, cada um de nós prestará contas ao Grande Rei e Senhor das nossas vidas, Jesus Cristo o Justo (Ele é JUSTO) então seja melhor a cada dia, pois é a Ele quem servis!

Posted in Reflexões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *